Blog Artsoft Sistemas

Assine nosso blog e receba semanalmente materiais educativos sobre gestão e tecnologia para otimizar a administração da sua empresa:

Com o objetivo de combater a sonegação fiscal e a informalidade nas empresas, o governo criou, por meio da Constituição Federal de 1988, o regime de substituição tributária, que incide diretamente na fonte produtiva, ou seja, indústria ou importadores.

Na prática, uma empresa recolhe a taxa por meio do imposto sobre circulação de mercadorias e serviços (ICMS) e depois é reembolsada quando o produto for vendido ao consumidor final.

Quer compreender o que é, como funciona e como calcular a substituição tributária? Então leia o texto abaixo!

Entenda o que é a substituição tributária

Na realidade, a Substituição Tributária foi uma forma encontrada pelo Governo Federal para garantir o recebimento antecipado do ICMS referente a cada Estado, tendo em vista que existem alíquotas diferenciadas.

Assim, há uma margem de valor agregado (MVA) adicionada ao preço do produto que sai da indústria, sendo lançada no imposto sobre circulação de mercadorias, ou seja, o governo recebe antes do comerciante obter a sua margem de lucro.

Dessa maneira, apenas uma empresa fica responsável pelo recolhimento do ICMS em toda a cadeia produtiva, sendo a substituta de todos os envolvidos na transação.

Diante de um vasto número de produtos que entram frequentemente na lista, diversos convênios foram assinados ao longo dos anos. O último, de número 102, datado de setembro de 2016, introduziu combustíveis e óleos lubrificantes nos extensos anexos.

Mas, é possível observar a maior parte das mercadorias que estão sujeitas à substituição tributária no convênio ICMS 92, de agosto de 2015. Todos os produtos são identificados por meio de um código especificador.

Veja como fazer o cálculo

Ao utilizar um valor presumido, os empresários aplicam diferentes tipos de metodologias para chegarem ao preço do varejo, ou seja, o valor que determinada mercadoria custará ao consumidor final.

Depois, o cálculo é feito através das seguintes fórmulas matemáticas:

  • base do ICMS Interestadual = (valor do produto + frete + seguro + outras despesas acessórias – descontos);
  • valor do ICMS Inter = base ICMS Inter (alíquota ICMS Inter / 100);
  • base do ICMS ST = (valor do produto + valor do IPI (quando existir) + frete + seguro + outras despesas acessórias – descontos) (1+(%MVA / 100));
  • valor do ICMS ST = (Base do ICMS ST (Alíquota do ICMS Intra / 100)) – Valor do ICMS Inter.

​Devido à complexidade do cálculo, que necessita que os valores sejam transformados em números decimais, sugerimos que você busque auxílio profissional não só no setor de contabilidade como também na área de Tecnologia da Informação (TI).

Afinal, softwares de gestão, como ERP, auxiliam no cumprimento das obrigações fiscais, além de reduzir a margem de erro e dessa forma aumenta os níveis de produtividade.

Portanto, tendo essa informação de que muitos empresários fecham as portas em razão do descumprimento das exigências da Receita Federal, nada melhor do que você fazer um investimento em novas tecnologias que ainda auxiliarão em muitos outros setores da sua organização.

Agora, é importante deixar claro que existem algumas exceções de negócios que não precisam arcar com a Substituição Tributária, como os inscritos no Simples Nacional, com receita bruta anual menor de R$ 180 mil ou que tem apenas um estabelecimento.

Ou seja, se o seu negócio integra os critérios da substituição tributária, não deixe de seguir nossas orientações. Afinal, quem respeita às normas legais certamente fica mais tranquilo para desenvolver as atividades produtivas com mais qualidade e foco na satisfação dos clientes e fornecedores.

Diante da necessidade de sempre ficar atento às necessidades operacionais, que tal você aprender agora sobre como fazer o controle de fluxo de caixa em sua empresa? Explore nossos conteúdos!

Gerenciar dados de uma empresa é um processo complexo, que envolve a habilidade de perceber o negócio em sua totalidade. Um gerente precisa conhecer os processos produtivos, as tarefas em desenvolvimento, as responsabilidades de cada profissional, as finanças, etc. Gerir todas essas informações por meio de uma série de planilhas pode ser perigoso, difícil e desgastante.

Lembre-se que as planilhas não são gratuitas. Mantê-las envolve investimento de tempo e de profissionais. Neste texto, você confere os principais motivos para não utilizar planilhas do Excel para gerenciar dados da sua empresa e as vantagens de utilizar sistemas automatizados para integrar as informações de sua empresa. Confira!

Continue lendo

A gestão financeira profissional é o planejamento e acompanhamento de todas as contas de uma empresa: os tributos pagos, a folha de pagamento, os custos operacionais, as contas a serem recebidas, o lucro, o fluxo de caixa etc.

Imagine-se na seguinte situação: você precisa orientar sua empresa a pagar diferentes regimes tributários, com regras que vão se alterando a cada dia. Como se organizar e estar por dentro de todas essas informações? Como não perder as datas de vencimentos e descobrir economias possíveis?

Realizar esse acompanhamento de forma sistemática das finanças empresariais, por meio de softwares que automatizam os processos organizacionais e unificam os dados, é imprescindível para que um gestor financeiro possa saber exatamente o estado econômico de sua empresa e tomar decisões.

Abaixo, selecionamos quatro principais vantagens em realizar uma gestão financeira profissional dos seus negócios. Quer saber mais? Leia o post!

Continue lendo

A utilidade de um sistema informatizado é inquestionável para quem busca melhorar a eficiência dos processos de uma organização. As vantagens podem ser vistas em todos os segmentos e departamentos. Entretanto, com a velocidade da modernização em um mundo cada vez mais globalizado, a experiência digital pode ficar defasada, sinalizando a hora de trocar o software de gestão.

Para assegurar que o planejamento estratégico da empresa não sofra prejuízo, é preciso identificar o momento certo para fazer a substituição. A verdade é que nem todo sistema se encaixa em todos os tipos de empresa e essa avaliação precisa ser acertada e contínua.

Está em dúvida se este é o momento de trocar o software de gestão em seu empreendimento? Então, continue acompanhando este artigo para saber qual decisão tomar.

Continue lendo

Quem tem uma empresa ou deseja abrir um negócio, não consegue escapar do DRE. Além de ser obrigatório, esse relatório financeiro auxilia os gestores a tomar decisões mais assertivas.

Contudo, elaborar o DRE pode ser um desafio muito grande, pois são muitos passos a serem seguidos. Qualquer erro durante o relatório pode fazer os dados não baterem no final.

Foi pensando na importância deste relatório para o sucesso de uma organização que listamos tudo o que você precisa saber a respeito do DRE. Confira!

Continue lendo

Os erros na implantação do ERP são tão comuns que muitos profissionais da TI têm verdadeiros arrepios quando ouvem essa sigla.

O pânico se deve, em grande parte, às experiências negativas que nascem de falhas no processo de instalação, mas que perduram por longos períodos que acabam consumindo muito tempo, dinheiro e energia das pequenas e médias empresas (PMEs).

Mas é errando que se aprende! Conhecer as principais falhas cometidas pelas empresas na hora de implantar um ERP pode ser uma das melhores formas de impedir que elas ocorram em suas próximas experiências.

Acompanhe este post e conheça os 11 erros comuns das PMEs na hora de implantar um ERP.

Continue lendo

Otimizar a gestão do e-commerce é o primeiro passo para quem quer aumentar a receita e expandir um empreendimento. Mas graças à informalidade dos negócios digitais, às vezes é complicado entender o que precisa ser melhorado e o que deve ser mantido da forma que está.

Para lhe ajudar nessa situação, nós listamos 5 dicas para otimizar a gestão do seu e-commerce. Acompanhe o texto e coloque tudo em prática hoje mesmo!

Continue lendo

Olá pessoal, tudo bem!?

Como vocês sabem periodicamente lançamos tutoriais sobre as ferramentas que disponibilizamos no nosso sistema e que facilitam o  operacional dos nossos clientes.

Neste Webinar conversei  a respeito da Análise Financeira com demonstrativo de resultado e um fluxo de caixa.

Então assista quais opções de Relatórios de Acompanhamento do Financeiro você pode utilizar!

Aprenda a fazer análise financeira por data de lançamento dos documentos!

Fluxo de Caixa por período, previsto e realizado!

Demonstrativo de Resultado gerencial instantâneo!

Super dica:

Para chegar em um demonstrativo de resultado com as informações que você deseja, é aconselhável visualizar os meus vídeos anteriores onde apresento como realizar os lançamentos de contas a pagar e a receber e suas baixas e muito mais!

Visite nosso canal no Youtube e divirta-se!

Espero que você aproveite!

 

 

 

 

 

 

 

Olá, pessoal!Tudo bem?

Já imaginou sua equipe de vendas tirando pedidos de forma on line, com a possibilidade de consultar produtos disponíveis, preços atualizados, gerando pedidos consistentes em sua empresa, e dando início ao ciclo interno de separação, emissão de documentos saída e entrega? Pois, já é possível!

Continue lendo

  • 1
  • 2
  • 9
artsoft-erp_logo-home

Soluções Inteligentes Lucros Rápidos

São Paulo: Rua Maria Aparecida do Amaral Godoi, 87, Jardim São Paulo.
Tel.: (11) 3090-4433
Rio de Janeiro: Rua México, 90 -  6 andar - Centro.
Tel.: (21) 3216-9100


Unidades de Negócio Artsoft: Artsoft Sistemas, Artsoft SAP & Artsoft Cloud

Default

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.